Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

d'aquém e d'além

COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

d'aquém e d'além

COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

Quando um professor não conhece os seus autarcas...

Augusto Semedo, 16.02.07
Numa visita recente do executivo municipal de Águeda a uma escola do ensino básico nº 1 (antiga primária) do concelho, a professora revelou desconhecer os autarcas. O episódio serviu de pretexto para, num momento de descontracção, um dos autarcas se ter feito passar pelo novo pároco da freguesia. 
A gafe da docente não passou despercebida a ninguém, principalmente tendo em conta a natureza da profissão que exerce. Com os meios de comunicação existentes - que se encontram à disposição dos cidadãos - e num momento em que se vai passando a mensagem de que é preciso fazer mais e melhor pela Educação, o desconhecimento da docente é um exemplo vivo de que nem só os menos letrados revelam dificuldades em compreender o meio que os envolve e se mostram à margem do que os rodeia, evidenciando um claro distanciamento sobre tudo o que não está directamente ligado aos seus interesses.
Pode até contestar-se o actual sistema político português e prevalecer algum desencanto com os políticos que nos representam; pode não existir qualquer identificação ou simpatia com os autarcas eleitos. Mas, no mínimo, qualquer cidadão - principalmente sendo professor – tem a obrigação de saber quem eles são e o que fazem. Deve preocupar-se com o meio que o envolve, saber quem o representa e governa, e até interessar-se pela forma como funcionam as organizações pilares da comunidade.
A aposta de envolver o meio na escola, ou desta se envolver com o meio, será sempre uma miragem enquanto a conduta de alguns agentes mostrar a face observada nesta circunstância. Porque a ignorância, hoje em dia, significa desinteresse, desmotivação e, em muitos casos, incompetência profissional.