COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

01
Fev 07
Pocinho é uma localidade do município de Vila Nova de Foz Côa. Ali, onde outrora funcionavam as oficinas dos caminhos de ferro, é o fim de linha para quem viaja no Douro. Barca d’Alva foi riscada do mapa das ligações ferroviárias, como de resto a linha que saia dali em direcção ao interior mirandês.
Naquela terra, a dois passos das gravuras rupestres, tudo parece parado no tempo. A estação, bem conservada, contrasta com um passado ligado à ferrovia que dificilmente terá retorno. A antiga ponte rodoferroviária está em colapso (as placas não enganam), o bairro onde dantes habitavam os trabalhadores ferroviários está completamente ao abandono… Quem sai da estação não tem informações sobre as ligações a Foz Côa. “Hoje é sábado, não deve haver autocarro”, respondia, solicitamente, uma mulher de meia idade, a um forasteiro de mochila às costas. Um táxi, ali estacionado, esperava o primeiro e único cliente.
Jornais? Não há! No topo da rua, enquanto se espera pela ligação de volta ao Pinhão, um toldo anuncia o único restaurante que se vislumbra.
Ao fundo, a barragem indicia que o dia-a-dia de muita gente ainda passa por um Pocinho onde (quase) nada acontece.
publicado por Augusto Semedo às 15:55

Designado Património da Humanidade pela UNESCO, em 14 de Dezembro de 2001, o Alto Douro Vinhateiro espera ainda pelo impacto dessa atribuição na sua economia. “É uma homenagem à obra combinada do Homem e da Natureza, que vem a ilustrar o valor universal do papel activo de uma cultura e uma paisagem de excelência”, lê-se algures, desde a imprensa aos meios de promoção da região. Mas, no futuro, deseja-se que a obra construída em séculos de história tenha continuidade na aplicação prática dos imensos estudos que têm sido realizados. Que conduzam ao progresso, invertendo a tendência de desertificação que se vem acentuando, indiferente a designações superiores.
A área classificada (24,6 mil hectares) insere-se num vasto território de 13 municípios, desde Mesão Frio, Peso da Régua e Lamego a Vila Nova de Foz Côa e Torre de Moncorvo. Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Alijó, Sabrosa, Carrazeda de Ansiães, Armamar, Tabuaço e S João da Pesqueira e Vila Nova de Foz Côa integram ainda o Alto Douro Vinhateiro, que ocupa 10% da Região Demarcada do Douro.
Percorrer o rio, de carro até Pinhão e de comboio daqui a Pocinho (onde hoje termina a linha que serpenteia o Douro) é algo a não perder. No fim da linha, o Pocinho mostra-nos a decadência; e quanto há a fazer (ou quanto nada tem sido feito) para tirar partido da beleza natural e do património histórico, mesmo que ali a dois passos resida um dos grandes santuários de gravuras rupestres, em tempos motivo de disputas partidárias e hoje apagadas da agenda política.
Seremos capazes de fazer melhor?
Nota final, in roteiros turísticos - O Alto Douro Vinhateiro tornou-se a 13ª zona do país classificada e o 5º elemento do grupo vitivinícola, juntando-se às regiões de Val du Loire e Saint Émilion (França), Cinque Terre (Itália) e Wachau (Áustria).
publicado por Augusto Semedo às 15:50
tags:

Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO