COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

24
Abr 13

Esta tarde, alguém calculou mal a manobra e deslizou na traseira do para-choques do carro. Não se acusou, nem com um bilhete que podia deixar junto ao carro, devidamente estacionado. Certamente, quem assim procedeu acobardando-se, escondendo a sua azelhice e fugindo às elementares responsabilidades de cidadania, estará agora algures a insinuar superioridade moral e a tecer acostumadas críticas a ...outros. Quem o escuta julgar-se-á perante alguém impoluto, socialmente responsável, exemplar cidadão.
Quem se insinua alcança. Julga os outros mas não o faz consigo. Exige aos outros mas esquece-se que antes deve exigir-se a si próprio. Cansado ando eu de os ver! Aproveitam-se e nada dão em troca. Fazem-se amigos mas fogem ao primeiro desafio. Lisonjeiam servilmente com descaro. Encavalitam-se como podem, saltitando sagazmente mas nada retendo para lá do seu ego infinito...
A eloquência e aparência de tantos, seja ela moral e ética, seja no domínio privado ou público, faria supor uma sociedade mais sã, próspera, com manifestações de cidadania capazes de transmitirem conforto e segurança, confiança e optimismo. Se as sociedades se fazem com as pessoas, será sempre o seu comportamento a determinar a matriz social dominante.
Quem está mal é sempre o vizinho. Somos desconfiados e pessimistas. Vivemos em desconforto permanente. Duvidando de regras e das hierarquias. Derrotando à partida e invejando em permanência. Sem visão de conjunto, sem critério, sem horizontes... Eu por mim, tudo e todos em função do meu eu - assim parece ser a regra!

publicado por Augusto Semedo às 23:34

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
25
26
27

29
30


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO