COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

26
Jul 08

Os miúdos faziam gincana com o carrinho que transportava a bagagem e só sossegram quando foram parar ao chão. Só aí a mãe se levantou, aproximando-se das malas tombadas. Com impressionante serenidade, ordenou a um deles para ir apanhar a garrafa de água que havia parado uns metros adiante.

Estava longe de pensar que aquelas duas crianças e a mãe, que vira de relance junto à porta de embarque alertado pelo barulho da queda, seriam companheiras de viagem.

Entrara, desta vez, mais cedo no avião. Escolhi minuciosamente o lugar que mais me convinha para ir à janela, quase na cauda do aparelho. Gosto de ver o que se passa lá em baixo. E de identificar os locais sobrevoados. É um belíssimo exercício e ajuda a passar o tempo.

"Mami!", ouço eu. Estava o avião praticamente cheio. Uma das crianças vislumbrava livres os dois lugares que se sucediam ao que eu escolhera. Primeiro, a mãe pedira a uma jovem que lhe cedesse o primeiro dos lugares da fileira à direita; depois, e para poder estar próximo das crianças, acabou por me solicitar que mudasse para o lugar que acabava de ficar vago.

Pronto, tinha que ser! Os miúdos iam choramingar certamente se tivessem um estranho a seu lado. E mudei-me. Logo desta vez, que fui dos primeiros a poder escolher.

E o avião lá levantou, perante as rezas da mãe a a indiferença daquelas duas ternurentas crianças.

publicado por Augusto Semedo às 00:25
tags:

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO