COISAS E COISINHAS DO NOSSO MUNDO augusto semedo

18
Ago 06

LIGAÇÃO À A25 - A ligação concluída há 12 anos (ainda IP5) revela-se uma óptima via directa à nova auto-estrada (apesar das curvas do troço Á-dos-Ferreiros - Talhadas). Ao nível do trânsito interno, foi muito importante para as povoações anteriormente mais isoladas da ainda freguesia de Águeda (Catraia de Assequins/ Giesteira/Maçoida) e para as freguesias do Préstimo e Macieira de Alcoba.

VARIANTE - Foi indiscutivelmente um investimento muito importante para o trânsito nacional e local, que "entupia" a irritante EN1, pejada de "pontos de conflito": cruzamentos, entradas para empresas e residências, e centro urbano da cidade. Águeda beneficiou com a execução de uma obra almejada há muito, porque retirou do seu centro urbano muito da sua poluição sonora e ambiental. Por outro lado, e relativamente ao tráfego local, a nova infra-estrutura permite uma melhor distribuição do trânsito, utilizando os quatro nós existentes, sem necessidade de se passar obrigatoriamente pelo centro da cidade. Negativo o facto do nó de Águeda Centro ainda não estar a ser utilizado na sua plenitude, devido à inexistência da ligação à A1 (variante da EN333).

IC2 - A variante, por si só, não resolve as dificuldades crescentes no acesso a Coimbra: demora-se uma hora, ou mais, a fazer 40 quilómetros! Por outro lado, o acesso a Albergaria-a-Velha ou ao nó de Albergaria da A1 é, ano após ano, cada vez mais difícil, porque o trânsito também aumenta. Em resumo: a variante é óptima para o centro urbano de Águeda e para a fluidez do trânsito local, mas claramente insuficiente face aos "pontos de conflito" da via que integra (IC2), o mais recente dos quais o cruzamento do Campolinho (Mourisca do Vouga).

VIA DE CINTURA - O lanço entre a Alagôa e o cruzamento da EN1 (Famel/Silva & Irmão/Modelo) é obra adiada há mais de uma década. Os automobilistas utilizam uma ligação construída provisoriamente (?) com uma passagem de nível sem guarda pelo meio. É essencial para a distribuição do trânsito local: quem utitilize o nó de ‘Águeda Norte’ (na variante), ou seja proveniente de Aveiro/Travassô, tem acesso facilitado a Ameal/Assequins/Catraia/Ligação A25/Castanheira do Vouga/Caramulo, ou ainda à várzea da cidade/Borralha, sem necessitar de passar pelo centro urbano de Águeda.

LIGAÇÃO À A1 - Falta tudo. Será a continuidade da EN333 (executada a ligação Talhadas/Águeda até ao Sardão) mas não se adivinha quando estará concluída. Para já, fez-se a ligação do Sardão (em Águeda) ao IC2 Águeda Centro. Para depois (já ontem era tarde!) alguém há-de anunciar a ligação daquela povoação a Mamodeiro (nó da auto-estrada), projectada para passar entre Perrães/Beco e Fermentelos.

EIXO ESTRUTURANTE AVEIRO/ ÁGUEDA - Falta tudo. Trata-se de um projecto intermunicipal resultante das dificuldades na ligação entre as duas cidades. Retiraria o trânsito do centro de Travassô (como de Eixo, Azurva e Esgueira) e tornar-se-ia numa via rápida com quatro faixas de rodagem. As últimas informações já davam conta de que teria rotundas no município de Aveiro. Uma via rápida (anunciada) com rotundas? A admiração não é caso para menos. Não tem passado de arma de arremesso político e as promessas dos profissionais da política têm sido mais que muitas. Até quando?

publicado por Augusto Semedo às 10:34
tags:

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO